Taxa de inflação na zona euro recua para 2,8% em janeiro

Taxa de inflação na zona euro recua para 2,8% em janeiro

A taxa de inflação na zona euro continua a recuar, tendo passado de 2,9% em dezembro de 2023 para 2,8% em janeiro de 2024.  

12 Feb 20242 min

Gostou do que leu? Partilhe!

A Poupança no Minuto disponibiliza serviços gratuitos de intermediação de crédito e mediação de seguros que podem ajudá-lo a baixar prestações mensais: Contacte-nos e perceba melhor! Ou leia antes os números divulgados pelo Eurostat. 

Taxa de inflação na zona euro abranda em janeiro de 2024 

A taxa de inflação homóloga na zona euro voltou a recuar no mês de janeiro, de 2,9% para os 2,8% de dezembro de 2023. Contudo, em dezembro interrompeu-se um ciclo em baixa de sete meses. Estas são estatísticas do Eurostat, que apontam ainda para uma taxa de inflação homóloga na média dos países da zona euro de 8,6%. 

Segundo notícia partilhada pelo Notícias ao Minuto, o Eurostat “indica também que a taxa de inflação subjacente (a que calcula a evolução dos preços sem ter em conta os elementos mais voláteis) abrandou para 3,3%, que se compara com os 3,4% de dezembro e 5,3% de janeiro de 2023”. 

“A componente da alimentação, álcool e tabaco foi a que registou a maior taxa de inflação anual em janeiro (5,7%, face aos 6,1% de dezembro), seguindo-se as dos serviços (4,0%, estável na comparação mensal), dos bens industriais não energéticos (2,0%, abaixo dos 2,5% de dezembro) e da energia (-6,3%, face aos -6,7% do mês anterior)”, pode ler-se na notícia. 

Dos vários países da zona euro, é na Estónia onde se prevê a maior taxa de inflação homóloga em janeiro, de 5,0%, medida pelo Índice Harmonizado dos Preços ao Consumidor (IHPC), à qual se segue a Croácia com 4,8% e a Áustria com 4,3%. 

Por outro lado, as menores taxas de inflação observaram-se na Finlândia com 0,7%, em Itália com 0,9%, e na Letónia e Lituânia com 1,0% cada. 

“Em Portugal, a inflação anual medida pelo IHPC deverá ser de 2,3%, em alta face aos 1,9% de dezembro e abaixo dos 8,6%”, explica a notícia divulgada. 

Com a taxa de inflação a recuar e os preços a baixar, é um bom momento para reorganizar o orçamento. Por isso, revisite encargos, renegoceie condições de créditos e seguros, e, caso não seja suficiente, pondere a transferência dos produtos para novas entidades. Saiba que os intermediários de crédito e mediadores de seguros da Poupança no Minuto podem ajudá-lo nestes processos, e de forma gratuita. Contacte-nos e fique a saber melhor o que é possível fazer no seu caso! 

Newsletter

Assine a nossa newsletter e não perca nenhum conteúdo.



Crédito habitação