Inflação a 2,9% em 2024? Previsões assim o apontam. Saiba o que mudou

Inflação a 2,9% em 2024? Previsões assim o apontam. Saiba o que mudou

A taxa de inflação em 2024 não será tão elevada quanto estava previsto. A nova informação contraria agora os 3,6% apontados, prevendo agora 2,9%. Saiba o que mudou e como voltar a organizar o seu orçamento mensal. 

26 Dec 20233 min

Gostou do que leu? Partilhe!

Com a inflação a abrandar, pode ser um bom momento para (re)organizar o orçamento mensal, por forma a baixar encargos e colocar uma parte dos rendimentos para a poupança. No caso de procurar poupar com créditos e seguros, os intermediários de crédito e mediadores de seguros da Poupança no Minuto encontram soluções para si. 

A previsão financeira para 2024 em Portugal é otimista: Inflação a 2,9% 

Banco de Portugal aponta agora para taxa de inflação a 2,9% em Portugal em 2024, uma descida maior do que antes previsto. 

As projeções são divulgadas no Boletim Económico de dezembro, a instituição liderada por Mário Centeno, e partilhadas por publicação do Notícias ao Minuto

A nova previsão é que a inflação mantenha agora uma trajetória descendente, sendo que neste momento a variação anual do Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) se encontra nos 5,3%, e se prevê que diminua para 2,9% em 2024, e 2% em 2025 e 2026. 

Esta informação contraria a previsão antes apontada, que referia taxas de 5,4% este ano, 3,6% em 2024 e 2,1% em 2025. 

Mas o que muda para uma descida da inflação mais acelerada? 

Nos contributos em causa que levaram a uma aceleração da descida da inflação está “a diminuição dos custos de produção --- na sequência da reversão de choques adversos sobre a oferta --- bem como uma efetiva transmissão da política monetária”, como pode ler-se na notícia. 

Porém, o relatório aponta para, nos primeiros três meses, “valores temporariamente mais elevados ao longo de 2024, convergindo para 2% em 2025”. Isto devido a “efeitos temporários sobre os preços dos bens energéticos e alimentares”, explica a publicação. 

No caso dos produtos energéticos, estas variações podem refletir “o impacto do aumento esperado do preço da eletricidade no início do ano e os efeitos de base nos combustíveis, dado que não deverá ocorrer em 2024 uma queda tão significativa dos preços como a observada na primeira metade de 2023”. 

Note ainda que, com o fim do IVA zero, prevê-se ainda que a taxa de variação dos preços nos produtos alimentares suba em janeiro. 

Quanto à inflação subjacente (que desconta os produtos energéticos e alimentares), a trajetória em 2024 é descendente, estando em causa “os efeitos desfasados da redução de custos e do aperto da política monetária”, cita a notícia. 

A previsão do Banco de Portugal acompanha o mesmo previsto pelo Banco Central Europeu (BCE) para a zona euro, apontando para uma inflação total com valores consistentes. 

Pode ser uma oportunidade para revisitar o orçamento 

Com os preços agora a baixar e a inflação a abrandar, um novo orçamento pode (e deve) realizar. Esta pode ser uma boa oportunidade para revisitar e controlar ainda mais os seus custos. 

Organizando melhor a sua vida financeira, consegue antecipar novos projetos, ou surpresas que possam vir a surgir no próximo ano. 

Para isso, repense todos os seus encargos. No caso de querer ajustar prestações de créditos e seguros, para novas condições, fale com a Poupança no Minuto. Contacte-nos para descobrir soluções que o ajudem a baixar prestações! 

Newsletter

Assine a nossa newsletter e não perca nenhum conteúdo.



Crédito habitação