Banco Central Europeu desce taxas de juro pela primeira vez desde 2016

Banco Central Europeu desce taxas de juro pela primeira vez desde 2016

O Banco Central Europeu (BCE) decidiu descer as taxas de juro pela primeira vez desde 2016 e depois do ciclo de aperto da política monetária iniciado em 2022, aliviando os empréstimos das famílias. Conheça os números. 

07 Jun 20243 min

Gostou do que leu? Partilhe!

Se precisa de um alívio mais imediato no seu empréstimo habitação, contacte os intermediários de crédito do Poupança no Minuto e encontre soluções como a renegociação das suas atuais condições ou a transferência do seu crédito para outro banco com uma prestação mais baixa.

BCE desce as três taxas de juro, como previsto pelos analistas 

O Banco Central Europeu (BCE) decidiu baixar, pela primeira vez desde 2016, as três taxas de juro, confirmando agora as previsões dos analistas. 

Esta descida permitirá agora um alívio nos empréstimos das famílias e empresas que tinham os financiamentos a taxa variável indexados às taxas Euribor. 

Então, segundo a informação partilhada pelo Notícias ao Minuto, a taxa fixa de operações principais de refinanciamento recuou para 4,25%, taxa de facilidade permanente de cedência de liquidez baixou para 4,5% e a taxa de facilidade permanente de depósito desceu para 3,75%. 

“Desde a reunião do Conselho do BCE de setembro de 2023, a inflação desceu mais de 2,5 pontos percentuais e as perspetivas de inflação melhoraram significativamente”, pode ler-se a explicação do BCE na notícia. 

“A inflação subjacente também abrandou, reforçando os sinais de enfraquecimento das pressões sobre os preços, tendo as expectativas de inflação baixado em todos os horizontes. A política monetária manteve as condições de financiamento restritivas. Ao atenuar a procura e manter as expectativas de inflação bem ancoradas, este facto contribuiu de forma significativa para a descida da inflação”, lê-se ainda. 

Por forma a “assegurar o retorno atempado da inflação ao seu objetivo da inflação ao seu objetivo de médio prazo de 2%”, o BCE reforça que “manterá as taxas de juro diretoras suficientemente restritivas enquanto for necessário”. 

“O conselho do BCE continuará a seguir uma abordagem dependente dos dados e reunião a reunião na definição do nível e da duração adequados da restritividade", refere, especificando que "as suas decisões sobre as taxas de juro basear-se-ão na avaliação das perspetivas de inflação, à luz dos dados económicos e financeiros que forem sendo disponibilizados, da dinâmica da inflação subjacente e da robustez da transmissão da política monetária”, cita a notícia. 

Contudo, é ainda referido que o conselho do BCE não se compromete já a uma trajetória de taxas específica. Isto no decorrer de um aumento da inflação na zona euro, duas décimas de ponto percentual de abril para maio, passando para 2,6%.  

É de ressalvar que a descida das taxas de juro em causa foi a primeira desde março de 2016, ainda que tenha reduzido o preço do dinheiro de 0,5% para 0% e baixado a taxa de facilidade permanente de depósito para –0,5% em setembro de 2019. Esta é também a primeira descida desde iniciado o ciclo de aperto da política monetária, com 10 subidas consecutivas entre julho de 2022 e setembro de 2023. 

Se tem um crédito habitação com taxa variável, indexado à Euribor e sujeito às variações da taxa de juro, e precisa de uma prestação mais baixa a curto prazo, saiba que existem outras soluções que podem aliviar este encargo num período mais imediato. Renegociando as suas condições ou transferindo o seu crédito, pode alterar o seu regime de taxa de juro e aceder às atuais campanhas atrativas dos bancos com taxas mistas, para aliviar a sua prestação mensal.

Os intermediários de crédito do Poupança no Minuto podem ajudar, de forma gratuita, em todo este processo! Simule a transferência do seu crédito habitação connosco, e inicie já o seu processo de poupança!

Newsletter

Assine a nossa newsletter e não perca nenhum conteúdo.



Crédito habitação