Explicando a Euribor: Saiba tudo sobre este indexante

Explicando a Euribor: Saiba tudo sobre este indexante

A Euribor tem sido o seu pior pesadelo? Se tem um crédito habitação com taxa variável, esta taxa tem sido a razão pela qual a sua prestação mensal tem aumentado. Passamos a explicar porquê, em seguida. 

22 Sep 20234 min

Gostou do que leu? Partilhe!

A sua prestação mensal de crédito habitação aumentou significativamente e quer voltar a baixá-la? Há soluções de poupança que podem ajudar, como uma renegociação de condições com os bancos ou transferência do financiamento para uma nova entidade. Contacte os intermediários de crédito da Poupança no Minuto e avance já hoje com o processo. 

Mas antes de mais, vamos então perceber como surge a Euribor e porque o seu valor afeta as prestações dos créditos habitação. 

O que é e qual a origem da Euribor? 

Euribor representa uma abreviatura de European Interbank Offered Rate, uma taxa de referência a nível europeu. No fundo, é a referência baseada na média de juros praticados ao longo de vários bancos da zona euro, através dos empréstimos que concedem. E pode dizer respeito a vários prazos, como uma semana, um mês, três meses, e os mais comuns sendo seis e 12 meses. 

Ou seja, uma vez que também os bancos precisam de financiamento, a Euribor é a taxa de juro que serve esse propósito. Isto porque reflete o que um painel de bancos da União Europeia cobra para emprestar dinheiro entre si sem garantias. 

São 52 os bancos europeus, incluindo o banco português Caixa Geral de Depósitos, e para chegar ao valor da taxa exclui-se 15% das taxas mais altas e 15% das mais baixas. 

A Euribor pode flutuar consoante a previsão de descida ou subida de juros pelo Banco Central Europeu (BCE). Significando que as taxas Euribor preveem os movimentos das taxas de referência definidas pelo banco central.  

O objetivo é ter a inflação controlada, em torno dos 2%: por isso, sempre que a inflação sobe na Zona Euro, o BCE sobe os juros. 

Esta foi uma taxa que surgiu com a criação do Euro, a 1 de janeiro de 1999. Serve como referência para vários produtos financeiros, com destaque para o crédito habitação, contas poupança ou certificados do tesouro. 

Como se tem comportado a Euribor ao longo dos tempos? 

A história da Euribor observa alguns picos de subida significativos, tendo-se verificado três vezes nas últimas décadas (com o atual incluído). 

Logo no ano em que foi criada, com as taxas Euribor registadas em 3,233% a seis meses e 3,213% a 12 meses, se pode observar um pico de subida em junho, tendo as taxas superado os 5,3% a 12 meses. Esta subida manteve-se até 2000, quando o a Euribor a seis meses atinge os 5,1%.  

Nos anos que se seguem, as taxas voltam a descer, mas esta tendência não dura muito: é no final de 2005 que se regista novamente um pico de subida, que se verifica até 2008, atingindo os 5,5%. 

Após este pico, a tendência foi de descida até 2016 e aqui atingiu valores históricos, e negativos. Mas já se antevia uma nova subida... Que acaba por acontecer em 2022, depois de disparar a inflação, tendo como consequência o aumento de juros do BCE. 

Por detrás dos maiores picos de subida, estão claro os contextos que explicam: em 2008 decorreu a crise do subprime nos EUA, levando à falência de grandes bancos e dando origem a uma crise financeira mundial; e em 2022 tem início a guerra da Rússia contra a Ucrânia, que origina crises nos vários setores na Europa, disparando a inflação. 

Qual a relação da Euribor com o contexto atual? 

A taxa Euribor influencia diretamente os créditos habitação que estejam indexados a uma taxa variável. Então, sempre que a Euribor flutua, o valor a pagar pelos financiamentos hipotecários acompanha, no respetivo prazo. 

Isto porque o valor que paga de taxa de juro (variável) na prestação do crédito habitação é a junção da Euribor (a três, seis ou 12 meses) com o spread (margem de lucro do banco). 

Por norma, o valor do spread não se altera ao longo de todo o contrato de crédito, se não transferir nem renegociar condições. Mas nos contratos com taxa variável a prestação é revista de acordo com o prazo que escolher.  

Por exemplo, se tiver escolhido uma taxa variável com a Euribor a seis meses, a prestação é revista semestralmente. E se o valor da Euribor se tiver alterado, também a sua prestação vai subir ou descer. 

Então, é por isso que, no contexto atual, as prestações de crédito têm aumentado exponencialmente. Uma vez que as taxas de juro e, por consequência, as taxas Euribor têm mantido uma tendência de subida desde 2022. 

Vamos voltar a baixar a sua prestação mensal? A Poupança no Minuto apresenta-lhe soluções de poupança no crédito habitação, de forma gratuita e personalizada: basta um contacto. 

Newsletter

Assine a nossa newsletter e não perca nenhum conteúdo.



Crédito habitação