Crédito habitação: O que significa carência e diferimento de capital?

Crédito habitação: O que significa carência e diferimento de capital?

Precisa de renegociar o seu crédito habitação, por não conseguir suportar prestações mensais altas neste momento? A carência e o diferimento de capital podem ser as soluções ideais para si. Conheça os dois processos, neste artigo.

03 Oct 20234 min

Gostou do que leu? Partilhe!

Se procura poupar com as prestações mensais do seu crédito habitação, os intermediários de crédito da Poupança no Minuto podem ajudá-lo com as opções disponíveis. A carência e o diferimento de capital são duas vias pelas quais pode optar: saiba como funcionam, em seguida. 

Duas soluções de poupança a curto prazo no crédito habitação 

Para quem necessita de uma poupança a curto prazo com o seu crédito habitação, existem várias soluções que podem ajudar. Como é o caso da carência e do diferimento de capital. Ambas permitem reduzir o valor que paga de prestação mensal num período inicial.  

O que pode trazer vantagens caso esteja a renegociar condições por estar num contexto mais sensível financeiramente. Isto porque são duas soluções que não estão disponíveis atualmente para novos financiamentos. Apenas a serem analisadas para clientes com fragilidades financeiras perante a subida das taxas de juro e dificuldades em pagar as prestações. 

Porém, a longo prazo, estas opções trazem desvantagens também. Então, vejamos como funcionam. 

Carência de capital significa pagar apenas juros primeiramente 

A carência de capital significa que, durante um período de tempo (de carência) só pague na prestação mensal os juros associados ao crédito habitação. Ou seja, durante esse período não paga o valor do empréstimo em dívida. 

Por norma, uma prestação de crédito habitação é constituída pelo montante em dívida mais os juros associados. Pelo que, durante a carência de capital, só fica a pagar o valor menor (juros). 

O período pode variar de banco para banco, podendo ser entre seis e 24 meses. Ou seja, durante este tempo o valor que paga de crédito habitação é menor. Porém, depois do período de carência a prestação mensal vai ser mais alta do que num crédito habitação que não tenha tido carência de capital. 

Vejamos um exemplo: num empréstimo a 35 anos, se optar por carência de capital a 12 meses, o valor real em dívida vai ser liquidado em 34 anos, pois durante um ano apenas paga juros. O que implica que, após os 12 meses, a prestação mensal vai ser mais elevada. 

E note também que o valor de juros também será mais alto, porque durante o período em que vai pagar o empréstimo, os juros incidem sobre a totalidade desse valor. Pelo que o custo total do crédito vai ser maior, comparando com um crédito sem carência de capital. 

Diferimento de capital “empurra” parte do empréstimo para o fim 

Já o diferimento de capital é outra opção para aliviar a prestação mensal do crédito habitação, que significa “empurrar” parte do empréstimo para o fim do contrato. 

Isto é, parte do valor em dívida é deixado para reembolsar na última prestação do crédito. Por norma, esta parte corresponde a 30% do valor total da hipoteca. 

Exemplificando, se o empréstimo que requereu ao banco foi de 200.000 euros com o diferimento de capital equivalente a 30%, significa que na última prestação do crédito vai pagar 60.000 euros. O que vai, naturalmente, diminuir o valor das prestações mensais do crédito no restante prazo de reembolso. 

No entanto, deve assegurar que tem, efetivamente, o valor diferido para liquidar na última prestação do contrato. Por mais que o valor das prestações mensais fique mais baixo ao longo do prazo de reembolso, o custo que deixa para a última mensalidade pode ser elevado e pode até necessitar de contratar um novo empréstimo para o liquidar. 

A parcela de capital que paga em cada prestação será menor nesta opção: por exemplo, no caso de o empréstimo ser de 200.000 euros, só paga prestações relativas a 140.000 euros de capital. Mas assegure-se de que vai ter capacidade para cobrir os 60.000 euros em falta no final. 

Além disso, ao amortizar menos capital do empréstimo durante o prazo de reembolso, o valor de juros vai ser maior uma vez que incide sobre o total do capital (incluindo a última prestação). 

Necessita de ajuda para avançar com algum destes processos? Contacte a Poupança no Minuto para um serviço gratuito, rápido e personalizado. Os intermediários de crédito tratam do seu processo com brevidade, para renegociar condições e começar a poupar com o seu crédito habitação o quanto antes.   

Newsletter

Assine a nossa newsletter e não perca nenhum conteúdo.



Crédito habitação