Compensa comprar casa para arrendar? Conheça os dados de 2023

Compensa comprar casa para arrendar? Conheça os dados de 2023

Face a dados divulgados pelo Idealista, posteriormente partilhados em notícia do Notícias ao Minuto, em 2023 compensou comprar casa para arrendar na maior parte das cidades portuguesas. Conheça melhor os dados em questão, qual foi a rentabilidade por distrito, e se compensa o processo, em seguida. 

15 Jan 20243 min

Gostou do que leu? Partilhe!

Este é um objetivo seu para este ano? Se sim, fale com um intermediário de crédito da Poupança no Minuto, que o ajudará a perceber se o seu caso compensa, perante a casa e respetivas condições do crédito habitação que ambiciona. Mas conheça antes os dados de 2023, e como fazer as contas para perceber se este é um investimento que faz sentido. 

Em 2023, compensou comprar casa para arrendar? 

Segundo dados do Idealista, partilhados pelo Notícias ao Minuto, comprar casa para arrendá-la a outro rendeu 7,3% em 2023, tendo compensado mais neste período, comparando com 2022. 

“A rentabilidade bruta da compra de uma casa em Portugal para colocá-la no mercado de arrendamento foi de 7,3% em 2023, um ponto percentual (p.p) superior à calculada para o mesmo período de 2022 (6,3%). Hoje, a rentabilidade na habitação é superior em 1,7 p.p em relação à observada em 2021, de 5,5%”, pode ler-se na notícia divulgada pelo site de informação. 

Relativamente à rentabilidade por capitais de distrito, os dados divulgados em causa assinalam que “é em Santarém onde é mais rentável a compra de uma casa para investimento, sendo o seu retorno na ordem dos 7,5%”, indica a notícia. 

Em seguida, a rentabilidade foi maior na cidade de Coimbra com 7%, Évora e Leiria com 6,9%, Setúbal com 6,2%, Braga e Porto com 5,9%. 

Em contrapartida, a rentabilidade face à compra de casa para arrendamento foi mais baixa em 2023 nas cidades de Lisboa com 4,6%, Faro com 5,1%, Aveiro e Funchal com 5,5%. 

Em 2024, quer comprar casa para arrendar? 

Se quiser comprar uma casa para arrendar em 2024, deve saber as seguintes informações: 

  • No caso de querer contratar um crédito habitação para financiar o imóvel, este necessitará de ser com a finalidade de segunda habitação. O que torna o processo mais dispendioso, pois no caso de habitação secundária o banco apenas cobre até 80% do valor do imóvel (de aquisição ou avaliação, o mais baixo); 
  • Tem de pagar dois impostos para poder avançar com a compra: Imposto de Selo e Imposto Municipal sobre a Transmissão de Imóveis (IMT); 
  • Deve fazer o cálculo do retorno para perceber se, no seu caso específico, com a prestação que pagará de crédito e respetivas condições, os impostos acima, mais o Imposto Municipal de Imóveis (IMI) anual, possível valor de condomínio, e o Imposto sobre as rendas recebidas compensa, face ao valor que vai receber do posterior arrendamento. Quanto a este último imposto, deve ter em conta que, ao valor pago pelo arrendatário, tem de subtrair 28% caso o contrato tenha menos de 2 anos, 26% se tiver entre 2 e 5 anos, 23% se for entre 5 e 10 anos, 14% caso tenha 10 e 20 anos, e 10% se o contrato tiver mais de 20 anos.  

Então, se subtrair todos estes custos a considerar, e o saldo se mantiver positivo a médio/longo prazo, a rentabilidade do processo acaba por compensar. 

Note que ter acesso à proposta de crédito certa pode ajudá-lo a conseguir as melhores condições de financiamento, ao custo mais baixo

Para isso, recorra a um intermediário de crédito como a Poupança no Minuto, que lhe irá apresentar as várias propostas do mercado referentes aos diferentes bancos, e o ajudará a decidir qual a proposta mais benéfica para si! Contacte-nos e saiba mais sobre como o podemos ajudar na compra da sua casa, com o financiamento certo. 

Newsletter

Assine a nossa newsletter e não perca nenhum conteúdo.



Crédito habitação