Tem crédito habitação? 2024 traz alívio das prestações mensais

Tem crédito habitação? 2024 traz alívio das prestações mensais

Para os contratantes de crédito habitação com taxa variável, 2024 traz, por fim, um alívio nas prestações mensais: Está prevista uma descida nas várias taxas Euribor, com o abrandamento das taxas de juro diretoras. Perceba melhor o que se espera este ano e como reduzir mais imediatamente a sua prestação de crédito. 

09 Jan 20245 min

Gostou do que leu? Partilhe!

Quer reduzir já a sua prestação mensal do crédito habitação? Conheça outras opções junto dos intermediários de crédito da Poupança no Minuto! Ou leia, primeiro, quanto e quando se espera a descida das taxas Euribor. 

Em 2024, taxas Euribor nos vários prazos vão abrandar  

Em 2024, as prestações mensais dos mutuários de crédito habitação devem descer, com a perspetiva de as taxas Euribor diminuírem ao longo do ano

O pico de subida já terá sido atingido em 2023, “ainda que abaixo dos recordes de 2008, e deverão recuar ao longo de 2024, aliviando um pouco o esforço de quem paga crédito ao banco, segundo analistas contactados pela Lusa” pelo que se pode ler em notícia do Notícias ao Minuto

Primeiro, note que as taxas Euribor sobem como consequência dos constantes aumentos das taxas de juro diretoras pelo Banco Central Europeu (BCE). Isto levou à subida das Euribor desde abril de 2022, atingindo máximos desde 2008, com o marco na taxa a seis meses de 4,138% em outubro de 2023 (considerando o máximo de 5,431% em 2008). 

Mas o recuo começou já a acontecer nas últimas semanas, com os analistas a considerarem que esta tendência se mantenha ao longo de 2024, uma vez que o BCE tem decidido manter as taxas diretoras inalteradas nas últimas duas reuniões. Pode, inclusive, “haver mesmo um corte no primeiro semestre (se o BCE vier a considerar que a inflação está controlada). 

Qual a opinião dos analisas face às expectativas da Euribor em 2024? 

“À Lusa, o analista da XTB Henrique Tomé afirmou que as Euribor deverão continuar a recuar em 2024 acompanhando ‘uma mudança na trajetória dos juros’. A influenciar a baixa das Euribor, explicou, estão as decisões do BCE, mas também a inflação, a conjuntura económica e a descida dos juros da dívida soberana”, lê-se na notícia. 

Porém, o analista considera que "estas perspetivas podem mudar rapidamente se houver mudanças na trajetória da inflação ou de outros indicadores económicos que possam levar o banco central a refletir sobre a sua estratégia de política monetária", como cita o Notícias ao Minuto. 

Já o analista da ActivTrades Mário Martins realça que o ano de 2024 “começará com a Euribor a seis meses abaixo dos 4% e será provável que termine entre os 3,25% a 3,50%”, cita a plataforma de informação. “A menos que ocorra algo inesperado, que reverta o caminho de normalização da inflação para o nível desejado dos 2%, o que iria suspender este alívio", explica o analista. 

A descida das taxas Euribor, nota Mário Martins, pode ser maior caso a economia da zona euro abrande significativamente, e, nesse caso, o analista aponta para uma Euribor a seis meses no final de 2024 entre 2,75% e 3%.  

Porém, os analistas consideram que a descida dos juros só vá acontecer a médio prazo, no segundo ou terceiro trimestre de 2024, e, por conseguinte, com impacto nas Euribor de maior prazo. O que significa que, assim que as taxas Euribor forem descendo, aliviam desde logo (mesmo ligeiramente) as prestações mensais dos mutuários com crédito habitação. 

Repare nas simulações feitas para a Lusa pela Deco/Dinheiro&Direitos, citadas pelo Notícias ao Minuto: “Um cliente com um empréstimo no valor de 150 mil euros, a 30 anos, indexado à Euribor a seis meses e com um 'spread' (margem de lucro do banco) de 1%, paga atualmente ao banco cerca de 798,55 euros mensais (tendo em conta a Euribor média de dezembro de 3,927%). Já se a Euribor descer para 3,5% passará a pagar 760,03 euros, menos quase 40 euros”. 

No entanto, ainda que o impacto seja imediato, clientes com créditos indexados à Euribor a prazo mais longo demorarão mais a ver a sua prestação mensal aliviada. “Por exemplo, um cliente com crédito à habitação indexado à Euribor a 12 meses cuja prestação renovou em novembro passado, à volta dos 4%, terá que esperar por novembro de 2024 para que a prestação seja revista em baixa”. 

Não precisa de esperar pelo alívio das taxas Euribor 

Não quer esperar tanto até sentir um impacto significativo da descida dos juros na sua prestação mensal do crédito? Saiba que existem outras opções que podem, mais imediatamente, baixar o que paga pelo seu crédito habitação. 

Não tendo o crédito indexado à Euribor, garante uma estabilidade e previsibilidade maior na sua prestação mensal. Alterando a sua taxa de variável para fixa ou mista, além de poder conseguir um valor mais baixo de prestação, o que vai pagar ao longo de 2024 é sempre o mesmo. 

Atualmente, existem bancos a promover campanhas com taxas mistas a partir de 2% se fixar a taxa por 1 ano. Para isto, deve realizar uma transferência do seu crédito habitação, para uma nova instituição que permita estas condições. 

Contacte os intermediários de crédito da Poupança no Minuto para simular o seu caso específico e descubra a melhor proposta de crédito para si! 

Newsletter

Assine a nossa newsletter e não perca nenhum conteúdo.



Crédito habitação