Taxas de juro vão continuar a subir? Saiba o que fazer ao seu crédito habitação

Taxas de juro vão continuar a subir? Saiba o que fazer ao seu crédito habitação

Nos encontros anuais do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial, em Marraquexe, Marrocos, o economista-chefe previu a permanência das taxas de juro altas, o que poderá “empurrar os países mais pobres para a bancarrota”. Mas o que fazer perante a subida contínua dos juros, se tiver um crédito habitação? 

26 Oct 20234 min

Gostou do que leu? Partilhe!

Procura soluções de poupança no seu crédito habitação? Contacte diretamente um intermediário de crédito, como a Poupança no Minuto, para o ajudar a encontrar a solução mais adequada ao seu contexto! Ou perceba, primeiro, as previsões do que acontecerá às taxas de juros, e como minimizar o impacto no seu financiamento hipotecário. 

Taxas de juro altas? Possíveis consequências a longo prazo  

Segundo publicação do Notícias ao Minuto, o economista-chefe do Banco Mundial, Indermit Gill, indicou em conferência de imprensa na abertura oficial dos encontros anuais do FMI e do Banco Mundial, que as boas notícias sobre, atualmente, “nenhuma grande economia entrar realmente em problemas”, mesmo “apesar de todos os choques”, a longo prazo serão diferentes. “O problema agora é que, por causa das elevadas taxas de juro, o crescimento está a abrandar muito”, garante o líder. 

Fazendo menção aos anos 70, Indermit Gill repara ainda que, “quando a Reserva Federal subiu as taxas de juro durante bastante tempo, uma das lições que aprendemos é que o ciclo de ajustamento não durou só um, dois anos, deixou cerca de 24 economias na bancarrota, e acho que podemos antever que alguns países vão ter problemas agora”. 

É por isso que o receio das consequências a longo prazo sobre as taxas de juro elevadas durante mais tempo foi o tema central desta conferência, com foco “na importância do impacto que os juros elevados têm nos países menos desenvolvidos, que dependem de empréstimos e financiamentos externos, normalmente em dólares, para financiar o desenvolvimento económico e social”, pode ler-se na plataforma de notícias. 

Esta permanência das taxas de juro altas “pode ser um evento complicado de várias formas, desde os investimentos às pessoas que, ao longo dos anos, se habituaram a um ambiente de juros baixos”, nota o presidente do Banco Mundial, Ajay Banga, na mesma conferência. 

Nos relatórios apresentados nestes encontros, pode observar-se uma previsão para 2024 de menor inflação (atualmente ainda se encontra elevada), bem como um maior abrandamento económico.  

Além disso, e ainda de acordo com a publicação do Notícias ao Minuto, o FMI deixou previsto que o crescimento global desacelere de 3% em 2023 para 2,9% em 2024 e que a inflação diminua de 6,9% em 2023 para 5,8% em 2024, não expectando o regresso à meta na maior parte dos bancos centrais até 2025 nas economias. 

Como minimizar o impacto das taxas de juro altas no crédito habitação? 

Para minimizar o impacto das taxas de juro altas no seu crédito habitação, no caso de taxa variável, deve rever as condições atuais do contrato. 

Atualmente, a taxa de juro fixa está com valores inferiores à taxa de juro variável indexada à Euribor (indexante que tem sofrido os aumentos consequentes da subida das taxas de juro). Ou seja, atualmente com este indexante paga um valor de taxa que tem estado constantemente a subir e a aumentar o valor que paga de prestação mensal pelo seu crédito. 

Ao fixar a taxa do crédito, garante sempre o mesmo valor de taxa e de prestação mensal, conferindo uma maior estabilidade e segurança, sem variações nem surpresas. 

Os bancos estão, hoje em dia, a fazer campanhas de taxas mistas que permitem fixar a taxa por um período, como dois anos, e depois voltando à taxa variável. Pode ser uma boa opção na medida em que, enquanto as taxas de juro mantêm a tendência de subida, paga um valor fixo que não acompanha as variações da Euribor; e após esse prazo, quando for expectável que as taxas de juro voltem a descer, volta a ter uma taxa variável. 

Posso alterar a taxa de juro do meu crédito? 

E como passar de uma taxa de juro para outra? Tem duas opções: Ou tenta renegociar com o seu banco as condições atuais e requerer esta alteração, ou, se o banco não permitir, transferir o seu crédito para um novo banco que permita. 

A transferência de crédito habitação, na maior parte dos bancos, não implica custos (apenas uma comissão por reembolso antecipado, mas que foi suspensa temporariamente pelo Governo). 

Fale com um intermediário de crédito para avançar com os pedidos de propostas aos bancos e reduza o valor que paga pelo seu crédito habitação! Os agentes da Poupança no Minuto disponibilizam um serviço gratuito e acompanham-no ao longo de toda a transferência, agilizando a comunicação com os bancos, tratando da papelada e ajudando-o a comparar e escolher a melhor proposta para si. 

Newsletter

Assine a nossa newsletter e não perca nenhum conteúdo.



Crédito habitação