Gerir um orçamento familiar? Conheça a regra de poupança 50/30/20

Gerir um orçamento familiar? Conheça a regra de poupança 50/30/20

Está a perder o controlo das suas finanças e precisa de implementar disciplina no seu orçamento? A estratégia 50/30/20 pode ser a solução para si. 

05 Sep 20234 min

Gostou do que leu? Partilhe!

Quer poupar com a sua carteira de créditos e seguros? Recorra à Poupança no Minuto e trate já do problema. Para perceber como gerir melhor o orçamento mensal com as despesas que tem atualmente, continue a ler em seguida. 

Como gerir um orçamento mensal familiar? 

Gerir um orçamento mensal familiar não é tarefa fácil. Quando existem despesas fixas, definir o que é possível gastar a mais ou não com despesas variáveis pode ser complicado. Além disso, também é essencial que sobre dinheiro ao final do mês para uma poupança ou investimento. 

Então, para isso, deve impor regras para que o orçamento não fuja do seu controlo. A partir do dia em que recebe o salário e tem rendimentos para gerir face a despesas, organização é a palavra de ordem. 

Se tiver despesas com rendas, prestações de créditos, escolares, obrigações fiscais: essas devem ser as primeiras a liquidar. Bem como despesas prioritárias que respondam a bens essenciais e de serviços, de alimentação, água, luz, gás, telecomunicações, combustível, transportes entre outras.  

Para que depois avalie quanto sobra para dividir entre gastos com despesas mais supérfluas, de lazer (cinema, teatro, cultura), comer fora em restaurantes, roupa, cuidados pessoais, e o alocar de uma parte na poupança. Esta poupança pode ir para um fundo de emergência como precaução ou para um fundo de investimento, de forma a concretizar objetivos futuros. 

É por isso que existem estratégias como a tão famosa regra 50/30/20. Vejamos como funciona. 

Gestão do orçamento com a regra 50/30/20 

A forma mais simplificada de conseguir ter um maior controlo sobre os seus gastos é apontar, previamente, todos os seus rendimentos e todas as suas despesas

É aqui que começa a organização do orçamento mensal. E esta regra 50/30/20 representa isso mesmo: o rastrear de todos os gastos e divisão dos mesmos entre categorias. Ou seja, cada percentagem corresponde a uma categoria (despesas fixas e prioritárias, despesas variáveis e poupança/investimento). E o objetivo é que não ultrapasse a percentagem atribuída em nenhuma das categorias. 

Esta pode ser uma excelente estratégia, para ganhar disciplina no que toca à concretização do orçamento mensal estipulado. É possível ter um estilo de vida confortável a nível financeiro e poupar centenas de euros com este processo. 

Ora, vejamos como deve ser aplicada a fórmula: 

  • 50% dos rendimentos ganhos devem ser dirigidos para o pagamento de rendas, prestações de créditos, escolares, obrigações fiscais, alimentação, água, luz, gás, telecomunicações, combustível, transportes, entre outras despesas fixas, prioritárias e de resposta a bens essenciais
  • 30% dos rendimentos ganhos podem ser gastos com despesas associadas ao estilo de vida, como comer fora em restaurantes, comprar roupa, lazer e cultura (cinema, teatro, museus, espetáculos, concertos), e cuidados pessoais (prática de exercício físico em ginásios, estética, entre outros); 
  • 20% dos rendimentos ganhos devem ser alocados num fundo de poupança ou de emergência, de forma a precaver imprevistos, concretização de projetos futuros, preparação para a reforma, etc. 

Então, organizando e planificando todo o orçamento de acordo com esta estratégia, ganha uma maior liberdade financeira.  

Para o fazer a longo prazo, é importante lembrar-se das despesas periódicas. Por exemplo, aponte sempre quando terá de liquidar certas obrigações fiscais ou de prestações, como o pagamento de impostos ou o pagamento de um seguro.  

Assim, ao avançar com a regra 50/30/20, já sabe, à partida, quais os meses em que a percentagem dos 50% vai ter de ser adequada. Se daqui a três meses, em novembro, tiver de liquidar o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), ou se precisar de pagar o seguro de vida associado ao crédito habitação no próximo semestre, ajusta a regra para esses meses, com antecedência.  

Se necessitar de ajuda com questões de crédito habitação, os intermediários de crédito Poupança no Minuto estão disponíveis para o esclarecer. Com um serviço gratuito, respondem a todas as suas dúvidas para que a sua carteira de créditos e seguros não seja um problema. 

Newsletter

Assine a nossa newsletter e não perca nenhum conteúdo.



Crédito habitação