Crédito habitação: Taxas de juro caem pela 1.ª vez desde 2022

Crédito habitação: Taxas de juro caem pela 1.ª vez desde 2022

Pela primeira vez desde março de 2022, as taxas de juro do crédito habitação desceram, juntamente com a prestação média. Conheça os números divulgados pelo INE, em seguida. 

25 Mar 20243 min

Gostou do que leu? Partilhe!

Acesso às melhores taxas de juro no crédito habitação? Fale com os intermediários de crédito da Poupança no Minuto! Ou perceba primeiro em que ponto estão as taxas de juro, neste artigo. 

Juros da casa caem para 4,641% em fevereiro 

Os juros da casa caíram pela 1.ª vez desde março de 2022 em fevereiro, com a prestação média a descer também. 

A prestação média teve agora a primeira redução desde fevereiro de 2021, fixando-se em 403 euros. 

Os dados foram divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), partilhados pelo Notícias ao Minuto, e apontam para uma taxa de juro implícita de 4,641% em fevereiro. 

“A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação diminuiu pela primeira vez desde março de 2022, para 4,641% em fevereiro de 2024, traduzindo uma descida de 1,6 pontos base (p.b.) face a janeiro de 2024 (4,657%)”, pode ler-se na notícia. 

Nos últimos três meses, a taxa de juro dos contratos celebrados desceu pelo 4.º mês consecutivo, de 4,315% em janeiro para 4,197% em fevereiro. 

A prestação média tendo-se fixado em 403 euros em fevereiro, representou menos 1 euro que em janeiro e mais 81 euros que em fevereiro de 2023. Corresponde assim a uma diminuição mensal de 0,2% (+1,0% no mês anterior). 

A parcela correspondente aos juros representou 62% da prestação média no último mês, comparando com 41% de fevereiro de 2023.  

Além disso, o valor médio da prestação nos últimos três meses desceu 11 euros comparando com o mês precedente, para 628 euros em fevereiro de 2024. Este corresponde a um aumento de 10,4% face ao mês do ano anterior. 

Por fim, o capital médio em dívida dos créditos habitação fixou-se em 65.158 euros, representando um aumento de 368 euros. 

Ainda que os juros estejam a começar a descer e a prestação média idem, não significa que sentirá já o efeito na sua prestação mensal da casa. Dependendo do caso e do prazo a que tem associada a Euribor, o valor que paga por mês pode continuar a manter-se ou ainda subir ligeiramente. 

Se este é o seu caso, saiba que existem campanhas promocionais dos bancos atualmente com regimes de taxa de juro mista (sendo que acede a uma taxa fixa num primeiro momento, voltando depois a uma taxa variável), com valores inferiores às taxas Euribor atuais. 

Quer aceder a uma destas campanhas? Pode fazê-lo renegociando o seu crédito ou transferindo-o para outro banco. Os intermediários de crédito da Poupança no Minuto podem acompanhá-lo por todo este processo, sem custos, para que aceda a várias propostas de diferentes bancos e possa escolher a ideal para si. 

Newsletter

Assine a nossa newsletter e não perca nenhum conteúdo.



Crédito habitação