Como entrar em 2024 com a poupança certa?

Como entrar em 2024 com a poupança certa?

O ano de 2023 está agora a chegar ao fim e a esperança para um 2024 melhor e mais folgado a nível orçamental é notória. Para isso, vamos ajudá-lo a avaliar todas as opções que existem para que entre no novo ano de carteira organizada. 

21 Dec 20237 min

Gostou do que leu? Partilhe!

Se precisa de ajudar para baixar prestações, fale já com a Poupança no Minuto. Podemos acompanhá-lo perante todos os processos que, em seguida, apresentamos.  

Avalie opções para baixar encargos 

O ano que passou foi bastante desafiante para a maioria dos portugueses, especialmente a nível financeiro. Com os contínuos aumentos das taxas de juro e uma inflação crescente, a ginástica para fazer face a todos os custos e encargos do orçamento mensal foi grande.  

Mas as melhorias começam agora a ver-se ao fundo do horizonte, com os valores das taxas de juro a estabilizar e a inflação a abrandar. 

Então, para que possa entrar em 2024 com a poupança certa na sua carteira, vamos fazer uma revisão de tudo o que pode fazer para baixar os seus encargos, com especial foco no crédito habitação ou outros financiamentos, e em seguros. 

Faz sentido aceder às medidas de apoio ao crédito habitação do Governo? 

Como forma de apoio aos portugueses, o Governo lançou este ano medidas que permitem apoiar os mutuários com crédito habitação, face ao aumento das suas prestações mensais consequente da subida das taxas de juro. 

As medidas assentam no seguinte: 

Fixar e reduzir a prestação mensal 

  • Contratos realizados até 15 de março de 2023 e com prazo residual igual ou superior a cinco anos, podem agora fixar o valor da prestação por dois anos, aplicando um novo indexante equivalente a 70% da Euribor a 6 meses; 
  • Depois de quatro anos, o valor diferencial entre o valor de prestação que pagava e o que passa a pagar com a aplicação da medida, tem de ser reembolsado, sendo diluído entre o prazo remanescente do contrato; 
  • Esta medida pode ser pedida ao seu banco até ao final do 1.º trimestre de 2024, por contratantes de crédito com finalidade de habitação própria e permanente em período de taxa variável. 

Bonificação temporária dos juros 

  • Representa um reforço da medida de bonificação que estava já em vigor e permite que a bonificação passe a ser calculada sobre o valor do indexante acima dos 3%; 
  • É direcionada a mutuários com rendimentos até ao 6.º escalão, sem diferenciação; 
  • Assenta num modelo de bonificação a 100% quando a taxa de esforço é igual ou superior a 50%, e bonificação a 75% quando a taxa de esforço está entre os 35% e os 50%; 
  • Note ainda que o limite anual para o valor bonificação é até 800 euros. 

Não cumpre os requisitos para poder aceder às medidas do Governo acima mencionadas, ou não considera que compense? Então, continuemos a avaliar opções. 

Tem um PPR? Resgate até ao final do ano para amortizar o crédito habitação, sem penalizações 

Caso tenha um plano poupança-reforma (PPR), saiba que está em vigor uma medida desde 21 de outubro de 2022 até ao final de 2023, que permite resgatar do produto para que possa amortizar parcial ou totalmente o seu crédito habitação, sem penalizações. 

Tem ainda uns dias até ao final do ano, para o poder fazer, sem que seja penalizado! O objetivo é que os mutuários possam sem reembolsados, sem serem penalizados, perante o contexto que atravessamos. Mas existem regras: Só pode resgatar até ao limite mensal do valor do Indexante dos Apoios Sociais (IAS) em 2023, que corresponde a 480,43 euros. 

A medida permitia que pudesse subscrever um PPR até este mês de dezembro e, ainda assim, pudesse também usufruir dos benefícios fiscais, resgatando mensalmente o valor máximo do IAS. Isto sem que tenha, então, de reembolsar a dedução do IRS, ou seja, a multa de 10% por cada ano de que beneficiou, como antes da medida em questão. 

Não está satisfeito com os seus contratos? Renegocie condições  

Nada melhor do que acabar o ano a rever todos os seus encargos e olhar para a sua carteira de créditos e seguros. Avalie: Está contente com as prestações que paga pelos produtos? As condições ainda se adequam às suas necessidades, preferências e, especialmente, possibilidades? 

Se as respostas forem negativas, está na hora de se dirigir às entidades contratantes e pedir para reverem as condições atuais, tanto dos créditos como dos seguros. 

Pode estar a pagar mais do que o suposto, e sem ter condições que vão ao encontro do que pretende atualmente.  

Para este processo, pode sempre recorrer a um intermediário de crédito ou mediador de seguros que, de forma gratuita, o ajudam a mediar todo o processo e alcançar as propostas adequadas a si. 

Até porque, caso se mantenha insatisfeito e precise de recorrer à opção que se segue, um intermediário de crédito ou mediador de seguros pode ser crucial... 

Continua insatisfeito? Transfira o contrato para outra entidade 

E se continuar insatisfeito com as novas condições renegociadas que lhe apresentarem? Bom, nesse caso, pode sempre transferir o contrato em causa para uma nova entidade, seja no caso de créditos ou de seguros. 

Tomemos como exemplo o crédito habitação. Se, atualmente, tiver o contrato de financiamento indexado à Euribor, com uma taxa variável, deve estar com uma prestação mensal significativamente mais alta do que a original. Isto devido aos aumentos das taxas de juro que, consequentemente, levam aos aumentos das taxas Euribor nos vários prazos. 

Uma vez que as taxas Euribor estão agora em valores de 4%, é só comparar estes valores com os valores de taxa que os bancos têm promovido nos regimes de taxa de juro fixa e mista, para novas contratações. O que implica que, se mudar de banco e contratar o seu crédito agora noutra instituição, pode aceder a essas campanhas.  

Mas recuando: O que significa ter uma taxa fixa ou mista no crédito habitação? Na taxa fixa, significa que irá fixar a taxa pelo restante período todo do contrato de crédito, garantindo uma maior segurança e acabando com as variações da prestação, dependentes das variações da Euribor. Já uma taxa mista permite que fixe a taxa num primeiro período, retornando depois à taxa variável.  

Esta última opção de taxa é o regime a que os portugueses mais têm aderido, pois permite ter agora um valor fixo e, quando se prevê que as taxas Euribor voltem a descer, voltar ao regime de taxa variável. E para perceber a diferença de valores, existem bancos a promover taxas mistas a partir de 2%, fixando a taxa por um ano. 

Ficou interessado nesta opção e encaixa-se na situação? Simule o seu caso específico, para perceber quanto pouparia, no nosso Simulador de Transferência de Crédito.

Amortizar ou consolidar também são opções 

Por fim, tem ainda duas opções interessantes relativas a créditos: Pode amortizar ou fazer uma consolidação dos financiamentos. 

Vamos por partes. Amortizar poderá ser interessante neste momento, principalmente no que diz respeito ao crédito habitação. Isto porque está em vigor uma medida que permite suspender a comissão por reembolso antecipado no caso de financiamento com taxa de juro variável. O que significa que pode amortizar, parcial ou totalmente, valores do crédito habitação para terminar ou diminuir a dívida, sem penalizações. 

Além disso, se tiver vários créditos (como um crédito automóvel, crédito pessoal e cartões de crédito), pode juntá-los todos num só. O crédito consolidado é um produto com taxas de juro atrativas, o que permite que fique a pagar uma prestação mais baixa pelo bolo todo, do que pagava individualmente por cada crédito. E a nível de praticidade, em vez de se preocupar com várias prestações, fica a pagar apenas uma por todos os créditos. 

Lembre-se: Faça sempre simulações, peça propostas, avalie contas, para que perceba quais são (e se são) as soluções mais vantajosas para si, considerando o curto, o médio e o longo prazo. É por isso que deve recorrer a ajuda nestas situações, para que o aconselhem e ajudem a tomar as melhores decisões financeiras. 

Se quer entrar em 2024 com a poupança certa, é com a Poupança no Minuto que deve falar. Ajudamo-lo com todas as soluções acima, e de forma totalmente gratuita. Entre com o pé (e o dinheiro) direito, no começo do ano! 

Newsletter

Assine a nossa newsletter e não perca nenhum conteúdo.



Crédito habitação