Como conseguir capitais para a entrada do crédito habitação?

Como conseguir capitais para a entrada do crédito habitação?

Decidiu que está na hora de começar a juntar dinheiro, para que possa comprar a sua casa com crédito habitação? Pois é, hoje em dia é necessária uma almofada financeira, uma vez que os bancos não financiam os imóveis a 100%. Vamos ver como pode alcançar uma poupança para este fim, no artigo. 

10 Aug 20237 min

Gostou do que leu? Partilhe!

Já tem os capitais próprios necessários para avançar com o crédito habitação? Não perca mais tempo, contacte os intermediários de crédito da Poupança no Minuto e vamos avançar com o seu processo. Se ainda precisa de descobrir métodos para poupar dinheiro para a entrada a dar ao banco, explicamos de seguida. 

Uma vez que os bancos, atualmente, apenas financiam um máximo de 90% do valor do imóvel em habitação própria e permanente, e um máximo de 80% em habitação secundária, o cliente tem de disponibilizar, pelo menos, 10% e 20%, respetivamente, do valor de avaliação ou aquisição da casa (o mais baixo). Por isso, passemos pelos vários passos que deve prosseguir para juntar dinheiro. 

Comece por criar uma conta poupança/fundo de emergência 

Se quer começar a juntar dinheiro, o primeiro passo deve ser, claro, criar um espaço onde possa colocar esses capitais. O ideal é que seja uma conta bancária, e não guardar o dinheiro fisicamente. Em qualquer um dos métodos, deve ser difícil de conseguir aceder. 

Por exemplo, caso crie uma conta poupança ou fundo de emergência, essa conta bancária deve ser de um banco diferente da sua conta principal, para que não consiga transferir diretamente de uma conta para a outra com facilidade. Se assim for, leva a que tenha mais tentação de o fazer, pela praticidade.  

Se conseguir aceder ao dinheiro em mão, o mesmo acontece. Por isso, caso assim o faça, coloque, pelo menos, o dinheiro num mealheiro que só seja possível de aceder ao partir. Torna o processo mais complexo, e não terá tanto impulso em ir buscar o dinheiro. 

Reorganize o orçamento mensal 

Para conseguir poupar, deve primeiramente reorganizar o seu orçamento mensal atual. Caso não costume fazer um controlo dos seus gastos face aos seus rendimentos, então está na hora de o começar a fazer. 

Rastrear os nossos gastos é a melhor estratégia de poupança, para começarmos a perceber o que estamos a gastar essencialmente e desnecessariamente. O exercício que devemos fazer para iniciar a organização do orçamento é: “Onde posso cortar e do que não posso mesmo abdicar?”. 

Comece por apontar os rendimentos todos que ganha. Depois, escreva as despesas fixas e indispensáveis, com os respetivos valores (gasolina, alimentação, prestações, etc). Em seguida, atribua um valor também a despesas variáveis (lazer e cultura, restauração, etc). Por fim, defina um valor para alocar à poupança. E o objetivo será cumprir com os valores todos que atribuiu, sem se exceder em nenhuma categoria. 

Opte por estratégias de poupança 

Existem as mais diversas estratégias de poupança que o podem ajudar seja a curto, médio ou longo prazo. Algumas são apenas pequenos passos a inserir no seu dia a dia e que, se as absorver na sua rotina por algum tempo, pode fazer toda a diferença. 

Temos como exemplo estratégias como a conhecida “50/30/20”. Nesta, o objetivo é fazer uma divisão dos seus rendimentos, de acordo com os gastos que tem a fazer. 

Ou seja, 50% dos rendimentos que ganha devem ser para pagar despesas fixas como rendas, prestações de créditos, escolares, supermercado, água, gás, telecomunicações, combustível,  etc; depois, 30% dos rendimentos direcionam-se a despesas com estilo de vida e cuidados pessoais, e os últimos 20% dos rendimentos devem ser colocados num fundo de poupança ou emergência. Poupança esta que, neste caso, irá para o seu próximo objetivo: conseguir capitais próprios para a entrada do crédito habitação. 

Mas tem inúmeras outras estratégias, como o desafio das 52 semanas, que consiste em que na primeira semana coloquemos um euro de parte, na segunda dois, e por aí adiante. O que fará com que, ao final de um ano (52 semanas), consigamos juntar 1.378 euros. 

Outra estratégia, que passa pela questão de não exceder o valor que definiu para despesas variáveis no orçamento, pode ser um exercício a realizar sempre que for fazer alguma compra. Para compreender se a compra que está prestes a fazer é essencial, imagine o seguinte cenário: se chegassem ao pé de si e lhe dessem a escolher entre o produto em causa ou o valor que ele custa, o que escolheria? Pois, se escolhesse o dinheiro significa que não precisa, indispensavelmente, deste produto agora...  

Invista em produtos financeiros com garantia de capital 

Já pensou em investir o seu dinheiro, para que, tal como uma planta, depois de semear a semente, comece a crescer? Esta pode ser uma boa forma de conseguir capitais próprios. Porém, devem ser produtos financeiros com garantia de capital, ou seja, com um retorno garantido. 

É o exemplo do Plano Poupança Reforma, cujo retorno pode ser garantido, mas com pouca rendibilidade. Isto acontece no caso dos Fundos PPR, sendo que pode optar pelo fundo que mais lhe convier consoante o nível de risco. Os produtos com garantia de capital não têm tanta expectativa de valorização. Mas, a longo prazo, pode gerar uma poupança sólida

Também tem a opção dos certificados de aforro do Estado, produtos com um retorno que é aplicado automaticamente num novo retorno. Isto porque representa a força dos juros compostos através de juros que geram retorno sobre juros. O risco neste caso também é baixo. 

E ainda com garantia de capital tem a solução dos seguros de capitalização, com uma taxa de juro garantida todos os anos. Esta pode mudar com a renovação da apólice. 

Transforme um hobbie num serviço 

Se tem algum hobbie ou alguma atividade que goste de realizar, porque não rentabilizá-la? Tornar um gosto seu num serviço que possa trazer rendimentos pode ser uma boa opção. 

Vejamos: se gosta de cozinhar, pode começar um negócio de venda de refeições ou doçaria para fora, promovendo-o nas redes sociais ou através de um site. Ou se tem gosto por desenhar, porque não emoldurar os seus desenhos e vendê-los?  

Pense nos seus gostos e naquilo que poderia dar origem a um negócio rentável. Pode estar a perder uma fonte de rendimento que, a médio/longo prazo, é possível que o ajude com os capitais próprios para a entrada do seu crédito habitação! 

Informe-se, peça ajuda e escolha a melhor proposta 

O peça essencial deste puzzle é conseguir a proposta mais adequada a si, que lhe proporcione a maior poupança, com as melhores condições e o menor valor a dar de entrada ao banco. E como fazer isso? Pedindo ajuda! 

Saiba que, com um intermediário de crédito, além de conseguir ajuda através de um serviço gratuito, informação e apoio não lhe vão faltar. Os intermediários tratam de esclarecer todas as suas dúvidas, de toda a burocracia e comunicação com os bancos, e de negociar as condições certas para si. 

A Poupança no Minuto disponibiliza um serviço de intermediação personalizado, em que comunica com um só agente durante todo o processo, para que juntos cheguem a um só objetivo: Poupar. 

Newsletter

Assine a nossa newsletter e não perca nenhum conteúdo.



Crédito habitação