Cubos com símbolos financeiros por cima de moedas

Entrega do IRS: Tudo a que deve ter atenção

A entrega da declaração do IRS começou a 1 de abril e termina a 30 de junho. Mas, afinal, a que deve ter atenção ao preencher a sua declaração? Veja os seguintes pontos. 

04 Apr 20243 min

Gostou do que leu? Partilhe!

Quatro pontos a que deve atentar na entrega da sua declaração de IRS 

A campanha de entrega do IRS referente aos rendimentos de 2023 começou no dia 1 de abril e terminará no próximo dia 30 de junho. 

Em comunicado ao Notícias ao Minuto, a DECO PROteste ressalvou quatro pontos a que deve ter atenção ao preencher a sua declaração, alertando para a “mudança da retenção na fonte do IRS”, que começou em julho e “poderá agora traduzir-se num reembolso menor ou em imposto a pagar”, sendo que os “reembolsos têm sido mais rápidos para contribuintes abrangidos pelo IRS automático”. 

Segundo a DECO, é importante os contribuintes atentarem aos seguintes procedimentos necessários nesta entrega para evitar contratempos ou atenuar imprevistos: 

  • Acesso ao Portal das Finanças: 

Se não tem acesso atual ao seu Portal das Finanças, solicite uma senha atempadamente por forma a entregar a tempo do período previsto e evitar prejuízos financeiros. Ao fazer o pedido, a senha pode demorar cerca de cinco dias úteis a chegar; 

  • IRS automático: 

 Deve notar que o IRS automático abrange mais contribuintes este ano, tendo sido alargado aos contribuintes com certificados de reforma, que se juntam agora “às pessoas com rendimentos de trabalho dependente, independente ou de pensões, com ou sem dependentes a cargo, e sem pensões de alimentos ou benefícios fiscais”. Para saber se tem direito a esta opção, basta confirmar no Portal se preenche os requisitos, e aceitando “a proposta sem esperar pelo final de junho, o reembolso poderá chegar mais cedo”. Porém, deve verificar se os dados pré-preenchidos na declaração estão corretos; 

  • Sobre o valor do reembolso a receber (ou o valor a devolver): 

Atente que “a mudança da retenção na fonte do IRS a partir de julho de 2023 poderá agora traduzir-se num reembolso menor ou em imposto adicional a pagar.  

O IRS automático pode levar os contribuintes a precipitarem-se na validação dos dados”, como explica a DECO, alertando assim para que os contribuintes procedam com a verificação e validação de faturas com despesas dedutíveis para minimizar impactos indesejados no imposto a pagar e corrigir as falhas nas despesas ao preencher a declaração.  

A organização lembra ainda que “não há vantagens em apresentar a declaração de IRS nos primeiros dias”, nem “nos últimos”, sendo até "recomendável esperar alguns dias para que todas as falhas estejam corrigidas e não correr o risco de o sistema ficar sobrecarregado nos últimos dias de junho”. “Os contribuintes devem simular os vários cenários possíveis antes de submeterem a declaração preenchida. Há opções que podem ditar um maior reembolso ou menos IRS a pagar”, pelo que é importante ter o “IBAN correto” e estar atento a “tentativas de fraude”. 

  • Correções de faturas: 

Por fim, deve saber que há a possibilidade de “efetuar correções das despesas dedutíveis submetidas sem custos” ao longo do período previsto para entrega da declaração de IRS. Então, deve “corrigir manualmente os valores, rejeitando a importação automática”. 

Se exceder os 30 dias de atraso na entrega da declaração saiba ainda que tal “pode resultar numa coima de, no mínimo, 25 euros”. 

Não estava a contar receber tão pouco (ou pagar) com a entrega da declaração de IRS? Se tem créditos e/ou seguros, a Poupança no Minuto pode ajudá-lo a alcançar a poupança de outras formas... vamos renegociar as condições dos seus produtos ou transferi-los de entidade por forma a obter prestações mais baixas! Fale connosco.

Newsletter

Assine a nossa newsletter e não perca nenhum conteúdo.



Simuladores